sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Frio em Curitiba

Morar em Curitiba é uma arte. Localizada a 934 metros do nível do mar e distante dele 110km, a cidade se orgulha de ter as temperaturas médias mais baixas do país. Por aqui não vivemos num país tropical. Por isso a arte: de manhã sair de casa com sobretudo, luvas, guarda-chuva e botas; no almoço, arrancar desesperadamente sobretudo, luvas, fechar guarda-chuva e odiar as botas. Curitibano que é curitibano está preparado para um amanhecer gélido, um meio-dia encalorado, um fim de tarde com chuva e uma noite intragável.

Em Curitiba faz frio (ou pelo menos calor não faz) de março a comecinho de dezembro. Dito assim parece exagero, mas pergunte a um curitibano se ele mantém o edredon o ano todo em sua cama. Se esta pergunta for feita no meião de janeiro, ele provavelmente dirá “imagina, faz tempo que não vejo meu cobertor em cima da cama”. Estará mentindo: curitibano fica tão desacostumado do sol que quando guarda a roupa de frio por duas semanas seguidas pensa que está de férias na Bahia.

Outro teste para saber se a pessoa mora mesmo em Curitiba ou se está apenas de passagem é perguntar quantos shorts e bermudas ela tem no armário. Via de regra, é apenas uma peça – e foi comprada na praia. Curitibano que é curitibano tem perna branca. Alguns, claro, têm a coxa.

Com tanta falta de sol, circulam em Curitiba as melhores piadinhas sobre frio e mau-tempo. São piadinhas de primeira categoria, que deixam envergonhados aqueles chistes virginais feitos com o nome da cidade, como Chuvitiba e Cu-ritiba. Veja só.

Disseram a visitantes que se aventuraram a andar no ônibus de turismo sem capota em fins de novembro e ficaram com paralisia facial pelo frio: “Caríssimos, Curitiba possui apenas duas estações: frio e Rodoferroviária.” Tomaram o caminho desta última e juraram ir para Gramado no próximo feriado da República.

Sobre a tentadora proximidade das praias de Santa Catarina deste nosso planalto paranaense, comentaram: “Tudo bem que São Pedro queira passar o feriado na praia, mas deixar o puto do estagiário tomando conta do tempo em Curitiba é sacanagem!”

Apesar de tudo, Curitiba é uma cidade maravilhosa. Gaúchos, paulistas, cariocas, mineiros, catarinenses e eventuais nordestinos vieram aos borbotões para cá. Todos querem viver neste pedaço de terra que até parece Europa. Por isso toleram frio, chuva, vento, infindáveis semanas nubladas. Curitiba é tão boa, mas tão boa que até o inverno vem passar o verão por aqui.

O lado bom da história.

Curitiba tem 30 parques e bosques. O lado bom do mau tempo é que mantém os parques bem conservados: ninguém tem coragem de frequentá-los. Num dia de sol, faz 10 graus e num dia de calor, chove. Curitibano necessita de shopping.

* Este texto não poderia ter sido escrito sem a inestimável contribuição do meu amigo fluminense Waltencir Alves de Oliveira, cujo trabalho o trouxe a viver em Curitiba. As piadinhas da estação e de São Pedro, foi ele quem me contou.

Um comentário:

Gwarlock disse...

Esqueceu de dizer que entre tantos brasileiros vivendo aqui a gente as vezes até esbarra num curitibano legítimo.
É sério!Eu nasci aqui mas a maioria dos meus amigos e colegas de trabalho e estudo é de fora!